“A primeira missa no Brasil”, de Victor Meirelles.

Ao longo dos séculos, a arte da pintura foi se dividindo em alguns estilos com específicas formas e características. A partir do Renascimento, surgiu uma classificação denominada “gêneros da pintura”. Dentro dela, há o retrato, o autorretrato, a paisagem, a natureza-morta, a pintura histórica e a pintura religiosa. Os Quadros Decorativos trarão um pouco de cada um deles para você. Hoje, falaremos do gênero Cenas históricas na pintura. Confira a seguir.

Por trás de cada gênero…

Acredita-se que os gêneros na pintura se relacionariam direta ou indiretamente à importância do pintor. Um artista que pintava apenas natureza-morta, por exemplo, era visto socialmente menos importante do que aquele que pintava fatos históricos. As cenas históricas se configuravam como um gênero bem valorizado na época. Apenas grandes artistas eram chamados para realizar pinturas históricas.

“Tiradentes esquartejado”, de Pedro Américo.

As cenas históricas

As cenas históricas, também chamadas de “pinturas históricas”, são um gênero pautado pela representação de grandes feitos, acontecimentos históricos e/ou temas marcantes. Pense, por exemplo, no célebre quadro, “Independência ou Morte”, de Pedro Américo, que teria retratado (há várias controversas dessa cena na História) o imperador Dom Pedro I, às margens do rio Ipiranga, em seu cavalo prestes a declarar a independência do país. Veja que imponente tela:

Esse gênero é conhecido como o mais relevante dos gêneros picturais existentes e é composto por alguns subgêneros como a alegoria, a pintura religiosa, a pintura de cenas mitológicas e de cenas literárias. Vamos a cada uma delas!

A pintura de alegoria compreende uma representação de ideias ou sentimentos abstratos. Um excelente exemplo é a tela “A Liberdade guia o povo,” de Eugène Delacroix. Nela, vemos que a mulher que está erguendo a bandeira da França em plena barricadas representaria a liberdade, sendo, dessa forma, a alegoria da independência francesa. O subgênero alegórico, em linhas gerais, é composto por figuras que possuem um significado simbólico.

“A Liberdade guia o povo,” de Eugène Delacroix.

A pintura religiosa, por sua vez, se refere às imagens que marcam a história desse segmento. Temos, então, uma arte sacra voltada para o retrato seja de cenas bíblicas ou personagens bíblicos bem como de outros elementos sagrados do Cristianismo ou de qualquer outra religião.

“Degolação de São João Batista”. de Victor Meirelles.

As cenas mitológicas e literárias, como o próprio nome sugere, trará a representação de seres mitológicos/literários presentes na cultura e na literatura dos povos. Nesse gênero, explora-se a história das criaturas narradas na mitologia grega ou romana, por exemplo. Curiosidade: você sabia que os irmãos Remo e Rômulo foram, segundo a mitologia grega, alimentados por uma loba? Esse fato possui várias telas em sua homenagem, uma bem interessante é a pintada por Rubens:

“Remo e Rômulo”, de Rubens.

Você já deve ter percebido que os artistas da pintura histórica possuíam, em seus pincéis, uma importante responsabilidade. A eles não bastaria apenas pintar uma perspectiva dos personagens e fatos históricos, era necessário retratá-los da forma mais fidedigna possível, o que incluía pormenores, pois as batalhas, os célebres personagens históricos, mitológicos ou narrativos foram eternizados por meio das telas. Esses pintores, de certa forma, contribuíram para a memória dos fatos e feitos marcantes da História, não é mesmo?

“Chaco”, de Pedro Américo.

 

“Moema”, de Victor Meirelles.

 

“Batalha Naval do Riachuelo”, de Victor Meirelles.

Gostou de conhecer um pouco mais sobre as cenas históricas na pintura? Tem alguma obra preferida sobre esse tema? Conte para nós nos comentários. Siga-nos e descubra incríveis obras e artistas com os Quadros Decorativos.