A Bíblia inspirou e inspira constantemente uma série de escritores, como o italiano Dante Alighieri, o brasileiro Machado de Assis e o argentino Jorge Luis Borges. No campo das artes não é diferente e as Escrituras são tema presente nas telas de famosos artistas. Dentre eles, destaca-se o pintor italiano Michelangelo Merisi, conhecido apenas como Caravaggio.

Nascido em 1571, Caravaggio é reconhecido por usar fortes tons com contrastes em suas telas por meio da técnica “claro-escuro”. Outra característica de sua obra é o realismo nos traços dos personagens.

Para a tristeza do mundo, o artista morreu aos 39 anos. Um dos grandes trabalhos do pintor italiano foi a série de cenas bíblicas, tema do post de hoje. Uma curiosidade: algumas dessas obras foram produzidas diretamente em capelas, não é incrível?! Confira a seguir as principais cenas bíblicas pintadas por Caravaggio.

Descanso na fuga para o Egito (1596)

Descanso na fuga para o Egito (1596)

Esta é considerada a primeira obra religiosa do pintor. Nela, podemos ver a representação de um anjo tocando um violino ao lado da sagrada família (José, Maria e o menino Jesus). Segundo a narrativa bíblica, José e Maria fogem para Egito para evitar Herodes que, revoltado por ter sido enganado pelos três magos, intentava matar todas as crianças menores de 2 anos. A cena da tela parece representar o exato momento em que o casal é visitado por um anjo para receber o aviso das intenções de Herodes. Uma curiosidade: note que ao contrário das comuns representações de Maria como uma mulher loira, na pintura de Caravaggio ela aparece ruiva. Veja de novo:

Detalhe de Descanso na fuga para o Egito (1596)

A Ceia em Emmaus (1596)

Essa obra apresenta uma das cenas bíblicas mais significativas do Novo Testamento: a ocasião em que Jesus, ressuscitado, aparece a dois discípulos. O pintor parece capturar o momento em que o Mestre, ao centro, ergue-se para abençoar o alimento.

A Ceia em Emmaus (1596)

Prisão de Cristo ou O beijo de Judas (1602) é também uma obra marcante de Caravaggio. Como o próprio nome da tela deixa inferir, ela retrata a entrega de Cristo aos sacerdotes realizada pelo apóstolo Judas por meio do conhecido beijo.

Prisão de Cristo ou O beijo de Judas (1602)

Lembra que, no início, dissemos  que uma das características da técnica de Caravaggio é os traços realistas? Olhe a seguir o hiper-realismo em A incredulidade de São Tomé (1599). Daí você já consegue entender o porquê de sua pintura ser revolucionária para o período, sendo uma forte oposição ao Renascimento.

A incredulidade de São Tomé (1599)

Ainda com a inspiração da temática bíblica tem-se as obras Invocação de São Mateus (1600), Crucificação de São Pedro (1601) e O Sacrifício de Isaac (1603).

Invocação de São Mateus (1600)

Crucificação de São Pedro (1601)

O Sacrifício de Isaac (1603)

 

Essas são apenas algumas cenas bíblicas pintadas por Caravaggio, existem várias outras tão belas quanto estas. Mas isso é tema para outro post.

Até lá!